A minha primeira vez em Lausanne

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Já sei o que estão a pensar, mas não, esta crónica nada tem a ver com aventuras ou experiências de cariz sexual 😊, queriam não queriam…

Pois bem, enquanto me dedico à pesquisa de um novo patrocinador aqui em Lausanne e arredores (é um trabalho complicado e a tempo inteiro, que pouco tempo livre me deixa), acabei por realizar a minha primeira volta por estas bandas.

Tratou-se de uma volta muito curta, menos de 15 kms, mas valeu pelo grau de exigência (inexistente) e pela descoberta de pontos interessantes (paisagísticos e arquiteturais), efetuada ao sabor das opções momentâneas.

Andar na cidade, não é propriamente a minha onda, mas à falta de melhor, sempre dá para desenferrujar quer a bicla, quer a ossatura.

Optei por efetuar uma visita a um dos “ex-libris” da cidade e por rolar no interior do parque da cidade, autêntico pulmão, se bem que uma cidade rodeada por montanhas e com um lago desta envergadura (chamo-lhe mar, tal é a sua dimensão), não necessitaria deste órgão para se sentir viva.

Embora o dia estivesse solheiro, estava um frio de rachar (- 1º), sendo que passei mal (sobretudo nas mãos) nas zonas mais sombrias do parque.

Tratou-se de uma volta improvisada, mas que em nada me desiludiu, sendo a dificuldade maior aquando das visitas quer à catedral, quer à torre, evitar a ação dos “amigos do alheio”.

Como betetista prevenido (levo sempre um daqueles cadeados com cabo de aço e código de segurança de 4 dígitos (Trek by Kryptonite), para prender o instrumento de trabalho), acabei por ter algumas dificuldades em encontrar locais que reunissem condições para a minha fiel amiga. Desta vez correu bem, mas não volto a arriscar.

Para finalizar e à semelhança da nossa primeira experiência, agora sim, sexualmente falando, digamos que não fiquei satisfeito, quero mais, muito mais, e tudo farei para encontrar uma volta que me encha as medidas em todos os sentidos 😊.


Cumprimentos betetistas e até à próxima crónica…

Alexandre Pereira

Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…

Podem visualizar esta crónica com os respectivos comentários às fotos no FORUM BTT. Ler o post (resposta) #108.