Au bord du Léman, le Château de Chillon

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Sendo um amante de história e tendo um gosto especial por castelos, resolvi que já era altura de prestar uma visita ao castelo suíço mais famoso no mundo e um dos monumentos mais visitados da Suiça, mais conhecido por Château de Chillon.

Este castelo fica a cerca de 4 kms de Montreux, na direção de Villeneuve, mas antes de lá chegar tinha planeado andar de elevador, isto é, subir através de um caminho estreito e muito sinuoso, cheio de degraus (mais de 1’000), que sobe desde a igreja de Montreux (parte antiga da cidade) até à estação de Glion.

Em Glion pude ter “un petit aperçu” do que vai ser o meu “martírio”, quando pretender abordar e subjugar as montanhas em redor dos “Rochers de Naye”.

A seu tempo veremos como “a coisa” se irá desenrolar, pois constatei que para lá chegar, terei de atravessar imensas paredes. Esta ideia de chegar lá cima, custe o que custar, não me sai da cabeça. Mal posso esperar pelo degelo para realizar umas incursões (haja saúde e pernas).

Para chegar ao meu destino final, resolvi apanhar o elevador que como poderão constatar pelas fotos é uma pequena caixa que deslisa por uma rampa bastante íngreme (mais de 35%). A viagem dura cerca de 5 minutos, com duas paragens pelo meio (saída de passageiros) e acaba em Territet.

Por motivos óbvios, tive pena de não realizar uma visita aos interiores do Château, fica para uma próxima, quando arranjar um “coéquipier”.


Cumprimentos betetistas e até à próxima crónica…

Alexandre Pereira

Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…

Podem visualizar esta crónica com os respetivos comentários às fotos no FORUM BTT. Ler o post (resposta) #128.