Não tiramos bilhete para visitar o circo do Creux du Van

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Começo esta crónica com uma afirmação de Jean-Jacques Rousseau modificada “Rolar com bom tempo, numa terra bonita, sem pressa, e ter por fim da volta um objectivo agradável: eis, de todas as maneiras de viver, aquela que mais me agrada”.

Vem isto a propósito da volta efetuada no passado dia 30 de maio, em que realizei com o Luís um track para os lados do “Creux du Van” a 1’420 mts. Tratou-se de uma volta com início e fim em locais diferentes, tendo arrancado perto de “Neuchâtel” e terminado em “Yverdons-les-Bains” após 51 kms e +/- 1’450 mts de acumulado positivo.

A paisagem no “Creux du Van” faz-nos pensar que talvez um imenso meteorito caiu aqui há milhares de anos e moldou toda esta área, no entanto este imenso caldeirão (1’400 mts de largura por 200 mts de profundidade), resulta tão somente da erosão de um glaciar. Quem diria que houve glaciares a tão baixa altitude!

Chegar lá acima não foi tarefa fácil atendendo à minha baixa de forma pois esta foi a segunda volta do ano efetuada em bicla e como sabem aqui o relevo não perdoa aos fracos 😊. A sorte é que o meu companheiro Luís é um homem com uma paciência de Job.

Como poderão constatar pelas fotos, o dia esteve soberbo, pena é que este local seja também escolhido por muitas pessoas para colocar um fim às suas existências, ainda há cerca de 3 semanas foram mais 3 (1 pai e 2 crianças). Paz às suas almas (crianças) pois não tiveram opção, mas o pai que se f..a, que ande a vaguear no limbo até à eternidade!

Cumprimentos betetistas e até à próxima crónica…

Alexandre Pereira

Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…

Podem visualizar esta crónica com os respetivos comentários às fotos no FORUM BTT. Ler o post (resposta) #560.