A última do ano fez-se sob -3°C

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Há já quase 3 meses que não alapava o traseiro em cima da minha fiel amiga, não porque vontade não houvesse, mas por falta de tempo e condições meteorológicas adversas ao longo destes meses e como sempre aos fins de semana (vá se lá saber porquê).

Ontem para quebrar este jejum forçado vi-me na obrigação de me testar, isto é, seria eu ainda capaz de rolar com temperaturas abaixo de zero, como diriam alguns, seria eu capaz de pôr as carnes a curtir 😊.

Uma vez que neste momento já começou a cair neve acima dos 1’000 mts, resolvi testar a minha segunda volta aqui pelas cercanias, que é como quem diz a arrancar aqui de casa.

Dados da volta:

- Total kms: 49 kms

- Altit. Mínima: 386 mts

- Altit. Máxima: 718 mts

- Acumulado de subida: +/- 1’000 mts

- Temperatura: -3°C e -5°C

Sabendo o que me aguardava, vesti a seguinte indumentária (que me desculpem os animais mencionados 😊):

- fato de macaco para BTT

- meia calça de veado para BTT

- protege orelhas tipo antolhos para cavalo

- protege face tipo mordaça para cão

- botas Northwave (quentes pensei eu)

- luvas Berg (quentes pensei eu)

- casaco Berg

Ainda bem que parti para a volta assim vestido, todos os artigos cumpriram a sua função, exceto as luvas e as botas. Tenho de investir em luvas ainda mais quentes e as botas verifiquei que são boas somente para a chuva.

Rapei um frio como se diz no norte do “cara..o”, aliás em muitas ocasiões tive as mãos dormentes, sobretudo a esquerda que por vezes ao mínimo solavanco parecia que me tinham dado um eletrochoque, tal era a dor que da mão passando pelo antebraço se deslocava à coluna.

Com esta volta termino um ano muito pobre em BTT, andei apenas 8 vezes de bicla aqui nas Terras Helvéticas tendo feito tão somente 413 kms. Para quem acompanha este tópico sabe que comprei a minha atual montada em dezembro 2016 e em dois anos apenas lhe consegui meter 975 kms 😊.

Acredito que o próximo ano será melhor ou como diria Tolstoi “A fé é a força da vida. Se o homem vive é porque acredita em alguma coisa.”


Cumprimentos betetistas e até à próxima crónica…

Alexandre Pereira

Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…

Podem visualizar esta crónica com os respetivos comentários às fotos no FORUM BTT. Ler o post (resposta) #843.